quarta-feira, 25 de maio de 2011

ELE & ELA


Acordou pensando na ex-mulher. Um pensamento insistente, que o acompanhou o dia inteiro...
À noite, depois trabalho, resolveu ligar para ela:
“Quem é?”, atendeu uma voz masculina.
Desligou o telefone. Podia ter discado errado o número...
Ligou de novo. E a mesma voz atendeu...
“Quero falar com a Dulce...”
“Quem quer de falar com ela?”
Não se intimidou:
“É o ex-marido dela...”
Silêncio brusco.
“Alô?”
“Vou passar pra ela.”
“Edgar...?”
“Oi...”
Novo silêncio.
“Desculpe eu estar te ligando assim, Dulce...”
Criou coragem:
“Queria te convidar pra gente sair pra jantar...”
“Hoje?”
“Hoje, amanhã... Você que sabe!”
“Hoje, então.”
Surpreso com a imediata aceitação do convite – afinal, fora ele quem havia proposto a separação meses atrás (sem ressentimentos!) –, Edgar perguntou aonde ela queria ir. No lugar de costume?
Dulce sorriu:
“Que tal no seu apartamento? Pode ser?”
Ele também sorriu:
“Acho que aqui o estoque de comida está meio em baixa...”
“A gente dá um jeito. Chego aí em duas horas! Beijos.”
Edgar abraçou o telefone, feliz da vida. Finalmente ia rever a mulher, depois de tanto tempo afastados... Como estaria ela? Não importava. Nem o sujeito que atendera o telefone importava. Só Dulce importava, nada mais!
  Igualmente feliz da vida, Dulce abraçou o amante. Há muito esperava aquela ligação...  Quem Edgar pensava que era, para abandoná-la feito um trapo, uma coisa à-toa – e depois voltar assim, na maior cara-de-pau?
“Ponha a sua melhor roupa, Carlão! Você vem comigo. Sua arma tem bala?”



Um comentário:

ABL disse...

Seu conto foi publicado na ABL.
Parabéns e obrigado pela participação.